domingo, 16 de outubro de 2011

FERNANDO GOMES - 1973

Fernando Mendes Soares Gomes
Nasceu a 22/11/1956 e foi um dos maiores avançados de sempre do conjunto azul e branco, tendo ainda jogado em Espanha no Sporting de Gijón, e jogado também no Sporting. No Futebol Clube do Porto foi campeão nacional por cinco vezes, ganhou uma Taça dos Campeões Europeus, uma Supertaça Europeia, uma Taça Intercontinental e três Taças de Portugal.Estreou-se no Futebol Clube do Porto aos 17 anos num jogo frente à Cuf, em que o estádio estava a abarrotar marcando dois golos, dando a vitória ao Porto por 2-1. Foi a partir daí que os portistas começaram a conhecer o mítico Fernando Gomes.Jogador elegante, de fino toque, com velocidade, bom no jogo aéreo conseguindo executar movimentos rápidos em curtíssimos espaços de terreno antecipando-se quase sempre aos defesas adversários. Fernando Gomes possuía ainda uma técnica apurada e isso fazia dele um perigo acrescido pois apostava muito nos lances construídos de trás para a frente, trocando a bola com os companheiros, para depois, surgir solto no local exacto para finalizar. Líder por natureza dentro e fora do campo, tornou-se numa figura carismática e um dos grandes responsáveis pelo renascimento de um FC Porto que há duas décadas andava arredado do título de campeão nacional. Marcou 318 golos no campeonato português, 288 dos quais pelo F.C.Porto, sendo o maior goleador de sempre e uma das mais populares figuras deste clube. Ganhou seis vezes o troféu de melhor marcador nacional e foi por duas vezes o melhor marcador europeu, pelo que é conhecido como o Bi-Bota de Ouro. É sua a famosa frase: «Marcar um golo é como ter um orgasmo.»A má experiência no Sporting de Gijón, marcada por uma lesão grave, e a fractura sofrida nas vésperas de jogar a final da Taça dos Campeões Europeus em 1987 que o FC Porto venceu, seriam dos momentos mais tristes de uma carreira sempre vivida no centro da alegria do golo. A sua saída do clube, empurrado pelo treinador Tomislav Ivic, que chegou a dá-lo como acabado para o futebol, também teve profundo sabor a injustiça. Mas Fernando Gomes era um guerreiro tendo ainda feito duas épocas no Sporting, marcando mais de 30 golos.A sua carreira na Selecção Nacional foi longa, estreando-se em 1975, numa fase de grande renovação da equipa das quinas, mas estranhamente muito menos proveitosa do que nos clubes por onde passou. Apenas 13 golos em 48 jogos dão uma pálida imagem da sua importância na realidade do conjunto das quinas. Na verdade, Fernando Gomes esteve presente em grandes momentos da Selecção Nacional e foi fantástico em jogos decisivos como, por exemplo, no célebre Portugal-URSS de Novembro de 1983, que garantiu aos portugueses o acesso à fase final do Euro 84. Em França, devido à excelente forma de Jordão, teve poucas oportunidades para se mostrar e actuou apenas em 3 partidas. No México, dois anos depois, marcou presença na fase final de um Mundial, jogando nos três encontros disputados por Portugal. Em ambas as ocasiões, os golos, os seus melhores amigos, viraram-lhe as costas.Depois de abandonar o futebol, Fernando Gomes abdicou por completo do desporto rei, tendo o seu nome já sido ventilado para orientar a selecção nacional no tempo em que para lá foi Humberto Coelho.Era bom, que este homem que tantas alegrias deu a todos os portistas pudesse voltar para esta casa pois o seu contributo por muito simples que fosse de certeza que iria melhorar em muito o clube do nosso coração

Sem comentários:

Enviar um comentário