sábado, 28 de abril de 2012

ANDEBOL -


52 anos depois, de novo "tetra"

O FC Porto Vitalis é pela segunda vez na sua história tetracampeão, após vencer este sábado o Águas Santas, por 30-25. Os Dragões chegam ao título no mesmo palco da época transacta, na Maia, mas desta vez uma jornada mais cedo (o campeonato foi então conquistado a 7 de Maio). O primeiro “tetra” portista tinha sido consumado em 1960, há 52 anos.

A vitória a três jornadas do fim comprova o domínio do andebol português, em que os portistas são de longe a equipa mais consistente e eficaz. O jogo dos Dragões é mais rápido, mais forte e mais moderno do que o de qualquer adversário nacional. Também nesta modalidade o FC Porto está num patamar de excepção e, por isso, a festa que se viveu em Águas Santas foi mais do que merecida, após nove meses de trabalho intenso.

Os predicados que levaram os azuis e brancos a este domínio foram colocados em campo mais uma vez, num pavilhão repleto de adeptos do FC Porto, que prestaram um apoio incansável à equipa e que, no final, puderem comemorar em plena arena. Num encontro em que o guarda-redes Hugo Laurentino se exibiu a grande nível e em que Gilberto Duarte foi o melhor marcador, com oito tentos, os portistas mostraram níveis de eficácia que contam toda a história: 54% na primeira linha, 73% na segunda, 70% no contra-ataque (7 golos em 10 remates) e 40% de eficácia dos guarda-redes.

O FC Porto entrou de rompante na partida e chegou a uma vantagem de cinco golos (2-7, aos 8:17). O contra-ataque funcionava então em pleno, mas os maiatos readaptaram-se e recuperaram no marcador. A partir de meados da primeira parte e até ao intervalo, a vantagem portista estabilizou nos dois/três golos. Nem o vermelho, que pareceu algo exagerado, visto por Daymaro Salina aos 22 minutos impediu os Dragões de se manter na frente.

No arranque da segunda parte, o FC Porto surgiu mais agressivo defensivamente e “cavou” a margem de que necessitava para assegurar a vitória. O golo de Wilson Davyes que deu o 18-24 ao FC Porto, a 15 minutos do final, praticamente sentenciou a partida, perante um Águas Santas sem reacção. Ainda houve tempo para dar espectáculo: por exemplo, no “chapéu” de Tiago Rocha a António Campos, aos 53 minutos, após assistência fantástica de Filipe Mota.

O marcador final já não interessava muito. Interessava mais a festa, que foi sendo feita no banco portista, nos minutos finais, e nas bancadas. Todos os 14 andebolistas do FC Porto que estavam na ficha de jogo tiveram oportunidade de entrar em campo e, no final, mesmo os não convocados se juntaram às celebrações.

FICHA DE JOGO

Águas Santas-FC Porto Vitalis, 25-30
Andebol 1, fase final, sétima jornada
28 de Abril de 2012
Pavilhão de Águas Santas, na Maia

Árbitros: César Carvalho e Daniel Freitas

ÁGUAS SANTAS: António Campos e Daniel Paiva (g.r.); Joel Rodrigues (5), Pedro Cruz (7), Mário Lourenço, Eduardo Salgado (4), Juan Couto (cap., 1), Marco Sousa (4), Nuno Pimenta (2), Albano Lopes (1) e Jorge Sousa (1)
Treinador: Jorge Borges

FC PORTO VITALIS: Hugo Laurentino e Alfredo Quintana (g.r.); Gilberto Duarte (8), Pedro Spínola (6), Tiago Rocha (5), Dario Andrade (3), Ricardo Moreira (cap., 3), Wilson Davyes (3), Filipe Mota (2), Daymaro Salina, Ricardo Costa, Malencic, Elias Nogueira e Vasco Santos
Treinador: Ljubomir Obradovic

Ao intervalo: 13-15
Disciplina: cartão vermelho a Daymaro Salina (22m)

Sem comentários:

Enviar um comentário