sábado, 26 de novembro de 2011

BASQUETEBOL




Ginásio foi Spa 96-41.


Não é erro de leitura ou lapso de redacção. É só diferença bastante para transformar o jogo da sétima jornada da Liga no mais suave treino portista da época, proporcionando às estrelas do campeão um longo período de repouso, a que só faltou tratamento de beleza, enquanto viam crescer a distância para o Ginásio, até aos 55 pontos finais. Foi assim este sábado, no Dragão Caixa. Um sossego.Apesar de quase imperceptível e escrita de forma indelével, a história do jogo esteve lá, escondida atrás de um desfecho impensável e de uma diferença insondável entre opositores. Não é à toa que os Dragões só têm vitórias e desde muito cedo se percebeu-se também que não é por acaso que o Ginásio só conta derrotas. Mais do que isso, ficou claro que, com esta equipa, Salvador, o treinador, não tem salvação.

Para os Dragões, o compromisso da sétima jornada decorreu, então, a ritmo de treino. Mas dos de descompressão, daqueles (poucos) em que Moncho López se autoriza a umas breves pausas competitivas. Ao final do primeiro período, o vencedor estava encontrado, depois de um amplo parcial de 22-3, que, afinal, nem andava muito distante da produção azul e branca nos minutos iniciais de encontros recentes, como com a Ovarense ou o Terceira Basket.O tempo restante, em que a vantagem quebrou bem cedo a barreira das quatro dezenas, tratou apenas de confirmar a amostra do quarto inicial e permitir ao treinador galego proceder a uma rotação mais profunda, que chegou a transmitir a sensação de que o jogo se poderia disputar no banco, onde se sentou demoradamente o cinco inicial, ao ponto de Greg Stempin, o mais utilizado entre os titulares, não ter jogado mais de 21 minutos.Autor de quatro triplos, Nuno Marçal foi o MVP da partida, com 14 pontos (tantos como Miguel Maria) e 7 ressaltos, num jogo em que os 14 jogadores escalados por Moncho López ultrapassaram os 10 minutos de utilização.

FICHA DE JOGO

Campeonato da Liga, 7.ª jornada

26 de Novembro de 2011

Dragão Caixa, no Porto

Assistência: 623 espectadores

Árbitros: Paulo Marques, Hugo Antunes e Pedro Maia

FC PORTO FERPINTA (96): Reggie Jackson (11), Carlos Andrade (5), João Santos (0), Miguel Miranda (9) e Greg Stempin (8); Diogo Correira (7), João Soares (7), David Gomes (3), Rob Johnson (10), Miguel Maria (14), José Costa (8), Nuno Marçal (14)

Treinador: Moncho López


GINÁSIO (41): Francisco Destino (6), Tauras Skripkauskas (16), Pedro Rocha (2), Daniel Caluico (10) e Pedro Silva (4); Gonçalo Machado (0), Marco Rosa (0), Nuno Pereira (0), David Martins (0), George Ehiagwina (3)

Treinador: Sérgio Salvador

Ao intervalo: 45-15

Por períodos: 22-3, 23-12

Sem comentários:

Enviar um comentário