sábado, 1 de outubro de 2011

António Guterres



Guterres afasta candidatura a Belém


António Guterres garante que não será candidato à Presidência da República nas próximas eleições. “Não tenho qualquer interesse em regressar à vida política”, garantiu esta sexta-feira o antigo primeiro ministro em entrevista à RTP.
Guterres defendeu ainda que a questão da dívida da Madeira é um ponto que não o preocupa por ter ganho uma nova perspectiva como Alto Comissário para os Refugiados das Nações Unidas. “É uma questão relativamente menor quando há situações como a da Somália”, avançou não sem antes reconhecer que existe “uma responsabilidade dos líderes” europeus que levou a UE ao actual impasse para resolver a crise da dívida soberana.
O antigo primeiro ministro reiterou que está a fazer “o que queria fazer nesta fase da minha vida” e não quis comentar nem sobre o Governo de Sócrates nem sobre a liderança socialista de António José Seguro, referindo apenas ser amigo dos dois.
O Alto Comissário reconhece que a crise tem dificultado o seu trabalho, uma vez que o ACNUR passou de uma média de um milhão de refugiados que ajuda a regressar a casa para cerca de 200 mil mas elogiou a ajuda que tem de figuras públicas, como a actriz Angelina Jolie. “Tem uma grande sabedoria política e é uma militante da causa”, sendo que o seu impacto mediático tem ajudado o trabalho das Nações Unidas.
António Guterres explicou que passou um ano a viajar pelo mundo em económica e que houve um momento que o marcou. “Num campo na Etiópia, falei com uma mulher que tinha vindo da Somália, 15 dias a pé, com seis filhos. Chegou com três: os outros morreram de fome”.

Sem comentários:

Enviar um comentário