domingo, 29 de janeiro de 2012

GIL VICENTE - FC PORTO 3-1



Paixão dá galo


O FC Porto perdeu este domingo por 3-1, no terreno do Gil Vicente, num encontro em que esteve abaixo do seu nível, mas em que também enfrentou uma estranha paixão do árbitro. Bruno de seu nome, o juiz ignorou dois penáltis a favor dos Dragões e um fora de jogo que daria origem ao segundo golo dos minhotos, entre outros erros menores, que tiveram a coincidência de ser desfavoráveis aos azuis e brancos.Nada que possa surpreender os portistas, é certo, face ao historial do árbitro em causa, que se começou a notabilizar numa noite fria em Campo Maior, há 12 anos. O FC Porto encontrou um adversário aguerrido, que teve méritos e que fez deste o encontro da época. Defrontar o campeão fornece motivação extra e os Dragões estavam a um jogo de igualar a maior sequência sem derrotas de sempre na Liga. Ainda assim, foram 55 partidas sem perder, um número impressionante e que é recorde do clube.A história da primeira parte conta-se em poucas linhas. O Gil Vicente abriu o marcador aos 15 minutos, por intermédio de Cláudio, que respondeu de cabeça a um livre de Richard. O golo surgiu no primeiro remate do desafio, num momento em que as equipas ainda procuravam “assentar” o jogo.O tento ofereceu uma vantagem importante para os gilistas, que recuavam bastante no terreno, protegendo a sua área com muitos elementos. O FC Porto foi apertando cada vez mais o cerco à baliza do adversário, mas o melhor que conseguiu foram três remates sem pontaria, por intermédio de Alvaro, Maicon e Rolando.Do lado contrário, o Gil Vicente foi bafejado pela sorte, com um penálti discutível por mão de Otamendi, que Bruno Paixão não hesitou em assinalar, e que originou o 2-0, em cima do intervalo. Em sentido inverso, há o lance em que Daniel atinge Defour, aos 25 minutos, mas que Bruno Paixão optou por deixar seguir. Tratou-se de um penálti claro, que poderia alterar o sentido do jogo, mas para Paixão parece valer tudo menos arrancar olhos. Pelo menos numa das áreas.Ao intervalo, Vítor Pereira arriscou e fez sair Otamendi e Souza, entrando em campo Danilo e Belluschi. Os Dragões passaram a alinhar com apenas três defesas e pagaram o risco com o terceiro tento do Gil, aos 52 minutos. André Cunha partiu, ainda assim, de uma posição duvidosa. O FC Porto tinha uma montanha para superar.A equipa não deixou de tentar essa missão hercúlea. Belluschi rematou com perigo aos 66 minutos e, especialmente, aos 73, quando ficou a centímetros do golo. Aos 77, o FC Porto reduziu a desvantagem, numa jogada entre Belluschi e Varela, que o português finalizou com precisão. Danilo e James tiveram ocasiões para fazer o segundo golo, que acabou por não surgir.O Gil Vicente ainda contou com a cumplicidade de Paixão para múltiplas interrupções e entradas da maca em campo. Em cima dos 90, Varela cruzou para Kléber, num lance que não deu golo graças a uma defesa milagrosa de Adriano. Foi a última oportunidade que os Dragões tiveram para reentrar na discussão da partida e trazer pelo menos um ponto de Barcelos. O tempo, porém, não é de atirar a toalha ao chão.FICHA DE JOGOGil Vicente-FC Porto, 3-1Liga portuguesa 2011/12, 17.ª jornada29 de Janeiro de 2012Estádio Cidade de BarcelosÁrbitro: Bruno Paixão (AF Setúbal)Assistentes: António Godinho e Paulo RamosQuarto árbitro: Vasco SantosGIL VICENTE: Adriano Facchini; Daniel (cap.), Halisson, Cláudio e Júnior Caiçara; Luís Manuel, Pedro Moreira e André Cunha; Rodrigo Galo, Hugo Vieira e RichardSubstituições: Richard por Guilherme (77m), André Cunha por Mauro (83m) e Rodrigo Galo por Tó Barbosa (86m)Não utilizados: Jorge Batista, Yero, Paulo Lima e RobertoTreinador: Paulo AlvesFC PORTO: Helton; Maicon, Otamendi, Rolando (cap.) e Alvaro; Souza, João Moutinho e Defour; Varela, Kléber e JamesSubstituições: Otamendi por Danilo (46m), Souza por Belluschi (46m) e Defour por Cristian Rodríguez (73m)Não utilizados: Bracali, Mangala, Iturbe e VionTreinador: Vítor PereiraAo intervalo: 2-0Marcadores: Cláudio (15m e 45m+1), André Cunha (52m) e Varela (77m)Disciplina: cartão amarelo para Otamendi (45m), Defour (45m+2), Rolando (61m), Belluschi (81m) e Mauro (89m).

Sem comentários:

Enviar um comentário